Notícias

19/12/2017

Aumento do açúcar eleva o risco da doença de Alzheimer

Saúde e Bem Estar

Indivíduos diabéticos têm aumento de 73% do risco de desenvolver algum tipo de demência

 

A prevalência do diabetes em adultos acima de 18 anos de idade aumentou de 4,7%, em 1980, para 8,5%, em 2014. A sua relação com complicações como cegueira, falência renal, infarto cardíaco, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e amputação em membros inferiores já são notórios. Contudo, pouco se divulga sobre a relação do diabetes e o aumento do risco de demência, em especial a doença de Alzheimer, que leva a óbito um terço dos idosos, o que representa mais do que a soma do câncer de mama e de próstata juntos.

Desde 2000 as mortes em consequência de doenças cardíacas diminuíram 14% mas, a doença de Alzheimer teve um aumento equivalente a 89%. Ambas patologias - o Diabetes e o Alzheimer - aumentam juntos a sua incidência. Um estudo de revisão, publicado pela revista Journal of Diabetes Investigation, analisou 28 estudos, realizados em 89.798 diabéticos, para saber a incidência de Demência e Alzheimer em pacientes Diabéticos. O estudo conclui que, se o indivíduo for diabético há um aumento de 56% do risco de desenvolvimento de Alzheimer. Entretanto, quando se avalia o risco de demência em geral, independente da etiologia, constatou-se um aumento do risco de 73%. As evidências sobre o efeito deletério do açúcar no cérebro não está relacionado somente ao diabético. Sabe-se que, mesmo naquelas pessoas que não são diabéticas, que possuem níveis de glicose dentro normal, mas no limite superior, denominados de pré-diabéticos ou intolerantes ao açúcar, ocorre algum comprometimento cerebral.

Fonte: JB Online